18 maio, 2008

A Sombra da Noite



Não estou falando de outras sombras.
Daquelas que passeiam pela noite.
Humanas, objetos, edifícios, carros, plantas.
Estou falando da grande sombra que a noite é.
Como ela cobre essa parte do planeta, nossos corpos, nossa alma.
Nos mergulha no nosso mais profundo eu,
Para trazer à tona o que há de melhor e de pior em nós,
para trabalharmos essas questões mais prementes,
buscar soluções definitivas para nossa existência;
ou simplesmente ficar olhando para o nada,
passeando pelos pensamentos e ansiedades mais banais,
no prazer do dolce far niente...

Não importa aqui a prioridade momentânea.
O que interessa é a noite
que vem
e com ela submerge o humano real,
que vive paralelamente à nós, animal social.

Aquele com medo, corajoso por saber conviver constantemente com isso;
nefasto, por trazer dentro de si toda uma gama de raiva justa aprisionada por anos e anos de repressão social;
intenso, por ainda ter dentro de si a energia que o criou, e se alimentar dela, mesmo que inconscientemente;
superficial, por desperdiçar essa mesma energia em tudo o que é inutil para si mesmo e os outros;
genioso, por ser teimoso o suficiente por não abrir mão do mundinho fútil que o escraviza, para criar algo maior;
genial, porque sabe de tudo isso, e brinca com o universo em seu caos particular;

verborrágico, porque não para de falar com seu próprio umbigo;
taciturno, por saber ficar em silêncio ouvindo a própria consciência lhe enviar sinais de que algo está errado no reino da humanidade, principalmente no seu feudo;
ignorante, por ficar indiferente à esses sinais constantes.

idiota, por ficar adiando sua própria evolução, até o dia do encontro com o Grande Buraco Negro de sua vida: a própria morte, e descobrir tarde demais - nos últimos minutos antes do suspiro derradeiro - o que poderia ter feito a grande diferença entre o sonhar, o imaginar, o fantasiar, o adiar e o vivenciar;

Contradições permitidas por todas as personas existentes em uma única alma,
personalidade multifacetada como um brilhante mal lapidado,
que busca em sua essência a mais completa tradução de si mesmo:
o que somos, o que devemos fazer,
para onde vamos? para onde queremos ir?
para onde nos levam?

A noite vem arrastando sua imensa sombra sobre nós...
Cabe-nos decidir o que queremos ser no processo de constante transformação
à que fomos condenados por nós mesmos e pelos deuses,
que a humanidade inventou para absorverem os pecados do medo da própria existência,
incerta e inevitável como a própria vida.

Pensamentos herméticos demais?
Então vá para o bar mais próximo e beba alguns copos de chopp,
acompanhados com petiscos variados;
vá para um restaurante, encha as taças com vinho,
coma una pasta
ou combinados de sushis regados à sakê;
estique numa pista de dança, se acabe no ritmo da música, se envolva na sensualidade da dança, beije MUITO quantas bocas se dispuserem á beijar a sua;
e se dali não acontecer o tão ansiado embate dos corpos,
termine sua noite num café, falando de suas poesias, seus contos, suas histórias para os amigos, ouvindo seus pensamentos, seus projetos, seus fantasmas e fantasias; brinque de ler o futuro no fundo da xícara e cubra a noite com gargalhadas e conversas engraçadas...

Esqueça que a noite sempre vem e cobre a luz do sol;
na verdade, ela só existe porque a luz vai embora,
para espantar a sombra que existe do outro lado do mundo...

4 comentários:

Mandiiê disse...

MUITO BOOM! :D

Nossa, quase chorei aqui quando li seu comentáriiio!!
(E quem foi que disse que a vida virtual não traz fortes emocões?!).

Mas acho que você precisa mesmo ser informado: Você escreve muito bem!
Adorei seu textoo!

Tem razão. A noite nos põe à prova. Nos deixa a sós conosco mesmos, com o máximo de nós.
E eu gosto. Eu gosto de estar exposta ao perigo de ser mais eu mesma do que normalmente sou. :D


Adorei o desfecho: "Esqueça que a noite sempre vem e cobre a luz do sol,
porque na verdade, ela só existe porque a luz vai embora,
para espantar a sombra que existe do outro lado do mundo..."


PS.: Siiim! Conheço desopilar! Comumente utilizado pelo senhor meu pai. :)



:**

Mandiiê disse...

Seus comentários sempre me dão um susto. Nunca espero encontrá-los, e quando vou responder os comentários atrasados, lá está ele, no post anterior!!

Bem, nada como surpresas!


:**

cristinasiqueira disse...

Sensível,rico,interessante.
Adorei passear pelas noites insones,insanas e não insonsas.Visite meu blog
www.cristinasiqueira.blogspot.com

Até mais

Cris

♥dy♥ disse...

E ainda diz que eu tenho a 'alma de poeta' !
Meu deus, e você quem é?
O srº humilde né?
Eu acho que você está certíssimo, confiança é realmente algo muito importante em qualquer relacionamento. Parabéns, você escreve maravilhosamente bem, também.
:**